Dissertação de mestrado analisa condições de acessibilidade na universidade perante o ponto de vista de estudantes com deficiência


Mobilizados pelos movimentos e lutas por direitos fundamentais, grupos que se encontram em situações de vulnerabilidade social, econômica e/ou cultural têm reivindicado oportunidades iguais de acesso e permanência em diferentes instâncias da sociedade, e na educação superior não é diferente. O movimento e a luta desses grupos têm possibilitado o desenvolvimento de políticas públicas com vistas a atender aos anseios da sociedade, dentre os quais se encontram os direitos das pessoas com deficiência. Junto a tais reivindicações ganha destaque a necessidade de se discutir medidas que contribuam para a garantia de educação às pessoas com deficiência.

Desse modo, examinar como pessoas com deficiência, matriculadas em instituições de nível superior, analisam as condições de acessibilidade das universidades públicas brasileiras fundou-se no objetivo do estudo apresentado por Kele Cristina da Silva, estudante em nível de mestrado na UNESP de Marilia. Assim, buscando atender a essa demanda, a pesquisadora propôs-se identificar o conceito de acessibilidade presente no discurso de estudantes com deficiência, matriculados nos cursos de graduação de três universidades públicas brasileiras, além de analisar como estes estudantes qualificam as condições de acesso e permanência na universidade.

Portanto, conhecer a vivência educacional daqueles que estão no cotidiano universitário e dar voz às suas percepções diante de sua formação, são pontos importantes de investigação no estudo. Entre diálogos, análises e constatações foi possível traçar uma aproximação do caminho percorrido por alguns estudantes com deficiência e aproximar as discussões sobre políticas nacionais de acesso e permanência na educação superior, daquelas que evidenciam o cotidiano e a realidade enfrentada na universidade pública brasileira.
Os dados da pesquisa foram levantados por meio de entrevista com os estudantes e posterior análise dos trechos, os quais foram categorizados em cinco eixos temáticos que norteiam a apresentação da discussão da pesquisa, sendo esses: Trajetória escolar: da educação básica ao acesso à educação superior; Percepção dos estudantes sobre os apoios oferecidos pela universidade durante a graduação; Condições de acessibilidade na universidade; Perspectivas sobre o processo de aprendizagem em sala de aula e Expectativas sobre a formação universitária.

Os resultados demonstram o esforço empreendido na revisão das políticas públicas e práticas inclusivas para o acolhimento de pessoas com deficiência à educação superior e surpreendem na medida em que apontam para um discurso ascendente com referências positivas no atendimento das necessidades dos estudantes com deficiência, sendo que aponta a necessidade de se apurar olhares destes sobre a sua permanência na universidade, uma vez que a responsabilidade pelo sucesso e providências dos apoios a serem oferecidos parecem recair sobre o grau de consciência que os mesmos têm de suas necessidades e/ou demandas educacionais.